quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Como destruir um HD em cinco segundos

Imagine que você faz parte da força militar áerea de seu país e o avião em que você está é forçado a fazer um pouso de emergência em um campo de inteligência inimigo. Não há tempo suficiente para deletar arquivos e os drives que você carrega estão recheadíssimos de informações altamente secretas, que são difíceis de apagar. Você tem poucos minutos antes que algum inimigo chegue, pegue o drive e o vasculhe tudo. O que você faria?

Michael Knotts, cientista sênior do Georgia Tech Research Institute, viveu essa situação depois que seu avião colidiu com um jato de guerra chinês e foi forçado a pousar perto do que ele chama de “Departamento de inteligência do primeiro-ministro da China”, há quatro anos. A pedido do fornecedor de soluções de segurança para militares L3 Communications, ele e outros pesquisadores desenvolveram um método para rapidamente apagar discos rígidos utilizando um mecanismo com um poderoso magnetismo interno.

Knotts explica que o equipamento, batizado de “Cão de Guarda” pelos pesquisadores, não exige eletricidade e é eficiente o bastante para ultrapassar até mesmo a coberturas de aço. “A [Agência de Segurança Nacional] destruiu cerca de 30 mil discos rígidos em um ano”, garante o pesquisador. “Atualmente eles fazem isso pela trituração ou pela desmagnetização”, usando um grande eletromagnetismo. Tais métodos, no entanto, não funcionam quando existe pouco tempo, energia ou espaço.

O pesquisador adiciona que embora os software baseados em “picadores de papel”, como o Norton WipeInfo, possam deletar e escrever em cima de arquivos antigos diversas vezes para assegurar que eles não poderão ser lidos novamente, eles não são poderosos ou rápidos o suficiente para algumas atividades militares.

Estes programas podem levar horas para apagar um drive, Knotts afirma, e eles podem deixar alguns dados disponíveis. “Muitas abordagens para apagar discos fazem apenas um trabalho parcial”, critica.

O pesquisador explica que, quando uma porção de um disco rígido é classificada de instável, o drive automaticamente descapacita o acesso àquela região. Todos os programas, incluindo “o tal software picador de papéis”, não são capazes de escrever ou ler a partir desses “setores separados” e não podem remover dados que podem ter sido deixados ali dentro.

Teoricamente, segundo Knotts, um determinado investigador com conhecimento sobre como trabalhar com drives poderá encontrar esses setores e lê-los, revelando partes importantes dos dados. “Para a média das pessoas, a abordagem do software está ótima”, acredita. Mas não dar atenção a algumas poucas palavras também pode ser perigoso. O Cão de Guarda destrói todos os dados do drive, até mesmo em partes que o computador não pode acessar e também pode deletar qualquer mídia, como fitas VHS, DAT, discos ZIP e semelhantes – pelo mesmo método que são apagadas as informações do hard drive.

Apesar de o sistema não conseguir apagar os dados armazenados em CDs, Knotts diz que eles podem ser facilmente destruídos usando uma máquina de lixamento que tritura o botão plástico e corta um base circular de alumínio.

Embora esse sistema provavelmente seja caro demais para usuários domésticos, Knotts acredita que a L3 poderá produzir centenas ou milhares de equipamentos para vender às agências do governo dos EUA e talvez para companhias privadas que lidam com dados sensíveis.

E o pesquisador conclui: “Não só alvos governamentais são potenciais focos (para terroristas). Eventualmente, qualquer pequena quantidade de informação pode ser perigosa em mãos erradas".

Nenhum comentário: