segunda-feira, 30 de março de 2009

Videogames ajudam a melhorar a visão

Adultos que jogam videogames de ação podem estar melhorando sua visão, revelou um estudo norte-americano neste domingo.

Segundo pesquisadores, aqueles que usaram os games de ação do estudo apresentaram um avanço significativo em sua habilidade de perceber diferenças sutis em tons de cinza, uma descoberta que pode ajudar pessoas que têm problema para dirigir à noite.

"Normalmente, melhorar o contraste sensitivo significa ter de usar óculos ou se submeter a uma cirurgia nos olhos", disse Daphne Bavelier, da Universidade de Rochester, em Nova York, cujo estudo apareceu no jornal Nature Neuroscience.

"Nós descobrimos que os videogames de ação ensinam o cérebro a processar a informação visual existente após o jogo ser interrompido".

Para o estudo, a equipe dividiu 22 estudantes em dois grupos. Um grupo jogou games de ação como "Call of Duty 2", desenvolvido pela Activision Blizzard. O segundo grupo jogou o game "The Sims 2", da Electronic Arts, o qual eles disseram não exigir muita coordenação.

Os dois grupos jogaram os games determinados por 50 horas em um período de nove semanas. No final do treinamento, os jogadores dos games de ação mostraram uma média de 43 por cento de avanço em sua habilidade de discernir tons de cinza, enquanto os jogadores do game "The Sims" não mostraram alteração.

Bavelier descobriu que os jogadores de games de ação aumentaram em 58 por cento sua percepção de diferenças em contraste.

"Quando as pessoas jogam games de ação, elas estão mudando o trajeto do cérebro responsável pelo processo visual. Esses games estimulam o sistema visual humano ao limite, e o cérebro se adapta a isso", disse Bavelier em comunicado.

 

Chip de grafeno pode chegar a 1 THz, diz MIT

Cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) acreditam que os processadores feitos com grafeno podem atingir a frequência de 1 THz.

Para se ter uma ideia, os chips atuais chegam a, no máximo, 5 GHz. Segundo os pesquisadores que estão trabalhando com o componente, é possível que a nova tecnologia vá para o mercado nos próximos dois anos.

O grafeno é um composto de átomos de carbono unidos em pedaços que se parecem colmeias. Identificado em 2004, o material tem capacidade de conduzir muita eletricidade e gerar um nível de calor praticamente desprezível. Sua espessura não é maior que a de um átomo.

Os cientistas explicam que a multiplicação de clocks dos processadores atuais gera ruído de sinal. Por isso, é necessário usar filtros que acabam limitando a velocidade do chip. O grafeno usa apenas um transistor com saída limpa, eliminando a necessidade de filtros.

A tecnologia será colocada em discussão no próximo mês, quando acontecerá nos Estados Unidos o simpósio científico Electron Device Letters.

 

sexta-feira, 27 de março de 2009

RC do Windows 7 sai em maio, diz Microsoft

A versão release candidate 1, que precede o lançamento comercial do Windows 7, deve ficar disponível já no início de maio.

A Microsoft anunciou a data nesta quinta (26) na página da companhia para desenvolvedores no final da tarde. Horas depois, no entanto, a companhia modificou o conteúdo disponível na página. O site ArsTechnica publicou uma captura da tela em que a data é anunciada.

Atualmente, uma versão posterior ao beta público disponível no início deste ano circula nas redes P2P e possivelmente é uma cópia próxima do que será revelado em maio com o RC1.

De acordo com a Microsoft, o Windows 7 não vai contar com várias versões de teste. Uma amostra disso é que só houve um beta público antes da estreia do RC1.

A expectativa do mercado é que uma versão final do Windows 7 fique disponível no varejo no máximo em janeiro de 2010, três anos após a estreia do Vista. Muitos integradores, no entanto, acreditam que a Microsoft será capaz de liberar o novo Windows antes do final deste ano, a fim de aproveitar as vendas de software e novos PCs já nas compras de Natal.

 

quinta-feira, 26 de março de 2009

Wii é o videogame que vende mais rápido

A Nintendo vendeu mais de 50 milhões de unidades do console Wii desde seu lançamento, há três anos, o que o torna o videogame mais rapidamente vendido da história.

O Wii, lançado em 2006 para competir com o Xbox da Microsoft e o PlayStation da Sony, tem se tornando popular entre consumidores e pretende expandir o mercado do jogo para mais usuários casuais.

"Francamente falando, antes dos lançamentos dos sistemas Wii e DS da Nintendo, quase ninguém previu que eles alcançassem o atual nível de aceitação", informou o presidente Satoru Iwata na Conferência de Desenvolvedores de Games em San Francisco. "Está até além do que nós possivelmente esperávamos."

"O mercado tem se expandido à medida que os videogames têm tido uma aceitação por mais consumidores nunca antes vista".

Falando no mesmo local onde em 2005 ele conversou sobre um novo produto de codinome "Revolution" --que se transformou no Wii-- Iwata afirmou que o console é agora o de vendas mais rápidas da história.

O Wii tem superado as vendas de consoles rivais com o Xbox 360 e o PlayStation 3 da Sony.

Reforçando seu apelo para uma audiência casual cada vez maior, Iwata disse que cerca de 20 por cento dos Wiis instalados em casas de família nos Estados Unidos, ou 3 milhões de pessoas, não têm nenhum outro videogame em suas casas após comprarem o console.

Este mês, a Nintendo anunciou que o total de concessões de sua licença DS de consoles portáteis atingiu o número de 100 milhões.

 

quarta-feira, 25 de março de 2009

Android e iPhone devoram mercado de rivais

Três meses após o seu lançamento, o Android já conquistou 5% dos acessos à web via celular nos Estados Unidos, segundo medição da Admob.

No mês de fevereiro, o sistema operacional do Google se destacou ao lado do iPhone, que respondeu por 50% do tráfego móvel no mesmo período. Há apenas seis meses, a participação do smartphone da Apple era de 10% do mercado.

Enquanto isso, os rivais perderam terreno. O BlackBerry caiu de 32% para 21% de participação, o Windows Mobile despencou de 30% para 15% e o Palm caiu de 19% para 7%.

Globalmente, o telefone da Apple já tem 33% de participação – contra 4% seis meses atrás. O aparelho ganhou mercado principalmente às custas do Symbian – que caiu de 64% para 43%.

Os demais sistemas também perderam espaço. A RIM caiu de 11% para 10%, o Windows Mobile de 13% para 7% e a Palm de 6% para 3%.

A AdMob levanta seus dados a partir das solicitações de visualização de anúncios online pelo celular. A empresa serve mais de 6 mil sites móveis.

 

Nuvem vai revolucionar mundo dos game

Uma nova empresa de videogame pretende desafiar as três maiores players desse mercado com um sistema de jogos baseado na nuvem.

A jovem companhia, chamada OnLine, afirma que seu serviço permitirá a usuários jogarem em qualquer TV ou computador pessoal – até em netbooks e em máquinas sem processadores gráficos.

Um console quase do mesmo tamanho de um iPhone e que pode ser operado por um controle sem fio conecta televisores e banda larga ao serviço OnLive, que oferece games que rodam a partir de servidores “da nuvem” em vez de funcionarem com base na capacidade do computador ou do videogame.

O OnLive está há sete anos sendo desenvolvido e já possui parcerias com dez editoras para a produção de novos jogos. A Electronic Arts, a Ubisoft, a Take-Two e a THQ estão entre as colaboradoras do serviço.

“Quando você tiver vontade de jogar, é só apertar um botão e o jogo começa instantaneamente”, disse Steve Perlam, fundador de CEO da OnLine, “É simples assim.”

Perlman é um executivo famoso no Vale do Silício que ajudou a fundar a WebTV, adquirida pela Microsoft em 1997.

Ele explicou que o OnLive oferece a possibilidade de jogar sofisticados games também em computadores básicos e Macs, em vez de fucionarem somente em máquinas avançadas.

O objetivo da companhia é colocá-lo no mercado no final de 2009. Embora não tenha sido divulgado o preço cobrado pelo console, já se sabe que o serviço seguirá o modelo de assinatura mensal e o console será “muito mais barato” do que consoles convencionais.

A Novidade foi apresentada na terça-feira (24/03) durante a Conferência de Desenvolvedores de Jogos, em Sao Francisco.

 

´Teremos que desafiar o Google´, diz Ballmer

“Se nós quisermos fazer muito dinheiro com a internet, teremos que desafiar o Google nas buscas”, disse Steve Ballmer, CEO da Microsoft, em visita ao jornal The New York Times, no fim da semana passada.

Para o manda-chuva da Microsoft, apenas três coisas deram alto lucro na internet: Amazon, eBay e Google. E nem todo modelo de negócio que obtém sucesso de popularidade na rede se torna algo lucrativo, como por exemplo, os mensageiros instantâneos da marca. Na Europa, diz Ballmer, a ferramenta é dominante, mas não foi transformada em algo rentável.

Ainda assim, Ballmer tem a ambição de colher frutos de ouro da rede mundial de computadores, mas esclarece que não deixará de lado o foco da empresa, o mercado de softwares corporativos.

Quando foi questionado por um jornalista do New York Times a respeito do alto risco de investir bilhões em outro mercado de perfil mais pessoal, o de buscas contra o Google, o CEO da Microsoft recusou a premissa, e disse que entrar em outra competição não significa que abandonará o investimento de longa data.

Ballmer ainda na conversa afirmou que há uma relação muito próxima entre softwares corporativos e a implicação doméstica “se você perder o consumidor, você perde a empresa".

terça-feira, 24 de março de 2009

Publicidade em games é mais eficaz que TV

Um estudo encomendado pela NeoEdge Networks , empresa de publicidade em videogames, concluiu que anúncios em vídeo nos jogos surtem mais efeito que na TV.

Resultados preliminares do estudo, divulgados pelo TechCrunch, indicam que o público tende a lembrar mais das marcas e ter mais impressões positivas delas quando expostos a vídeos dentro dos jogos de videogame.

Segundo a consultoria eMarketer, os anúncios dentro de videogames devem movimentar US$ 650 milhões em 2012.

A previsão ainda é conservadora. Outras consultorias apostam que o segmento pode faturar até US$ 1,8 bilhão em 2010.

Empresa de peso, como o Google e a Sony, já anunciaram estratégias para oferecer publicidade dentro dos games.

O Google estendeu o seu programa de links patrocinados adwords para o universo dos jogos. Já a Sony apostou em anúncios gráficos para jogos do PS3 - colocados em outdoors, placas e outros espaços virtuais dentro dos games.

 

Google diminui frequência de aquisições

Depois de passar anos abocanhando empresas, o Google agora está de dieta. O gigante da Internet não anuncia uma aquisição há seis meses, uma significativa desaceleração se consideradas as mais de 30 empresas que comprou desde 2005.

O presidente-executivo do Google, Eric Schmidt, reconheceu a desaceleração no começo do mês, falando a investidores em uma conferência que os preços ainda estão altos demais para seu gosto e que os esforços de fusão e aquisição empreendidos pelo Google estão "bem inativos".

Mas alguns observadores afirmam que o Google, que tem cerca de 16 bilhões de dólares em dinheiro e títulos nos seus cofres, pode não ficar muito tempo afastado do mercado de aquisições. No mundo altamente competitivo do software para a Internet, empresas como o Google precisam olhar para fora em busca de novas tecnologias e oportunidades de crescimento.

"Os presidentes de empresas podem dizer o que quiserem sobre preferir ficar à margem, mas se surgir a transação certa, pelo preço certo, eles sem dúvida pensarão a respeito", disse Ben Schachter, analista do UBS.

Recentemente, surgiram fortes rumores sobre o interesse do Google pelo Twitter, um serviço iniciante de redes sociais, e pela agência de viagens online Expedia.

O Google não comenta sobre boatos de fusão, e os analistas estão divididos quanto à viabilidade de qualquer das combinações propostas. A Expedia representaria um forte afastamento quanto ao histórico de aquisições do Google e à sua estratégia mais ampla, que tem as buscas em posição central, enquanto o Twitter oferece certos recursos intrigantes mas seu modelo de negócios continua incerto, dizem.

O valor de mercado da Expedia é da ordem de 2,3 bilhões de dólares, e as ações da empresa caíram em 70 por cento ante o pico atingido em maio de 2008. O Twitter, uma empresa de capital fechado que permite que seus usuários troquem mensagens curtas com um máximo de 140 caracteres, é mais difícil de avaliar, ainda que em negociações com o Facebook no ano passado o site de microblogs tenha sido supostamente avaliado em 500 milhões de dólares, de acordo com blogs e reportagens.

 

Chrome é duro de invadir; Safári é moleza

Um grupo de hackers desafiados a invadir PCs por meio de seus navegadores fracassou na tentativa de explorar falhas no Chrome e obteve fácil sucesso com outros browsers, em especial o Safári, da Apple.

A tentativa coordenada de invasão foi organizada ao longo da conferência de segurança CanSecWest, que acontece em Vancouver, no Canadá. Foram testados o Chrome, Firefox e IE8 num Sony Vaio com Windows e o Firefox (de novo) e o Safari num iMac.

Praticamente todos os hackers desafiados tiveram sucesso em explorar falhas do Safari. Já para disseminar malware via IE e Firefox o grau de dificuldade foi muito maior. No caso do Chrome, porém, ninguém conseguiu explorar suas vulnerabilidades.

Um hacker que usa o apelido de “Charlie Muller” disse que encontrou falhas no Chrome, mas não conseguiu

 

segunda-feira, 23 de março de 2009

Placas de vídeo da ASUS detonam no jogo e mostram tudo pela web

Atenção, gamers. Preparem os corações e os bolsos. As novas placas de vídeo da ASUS, a ENGTX295 (acima) e a ENGTX285, estão chegando oficialmente por aqui. 

A ENGTX295 vem equipada com o GPU NVIDIA GeForce GTX 295 e 1 792 MB de memória DDR3 para arrebentar na jogatina. Sua resolução máxima em DVI chega a 2 560 por 1 600 pixels.

Com 1 GB de memória DDR3, a ENGTX285 chega em três modelos. Assim, o engine clock das placas vão de 648 MHz até 712 MHz.

Munidas com o programa ASUS GamerOSD, elas são capazes de apresentar uma atualização em tempo real do seu desempenho, além de permitir que os usuários gravem as ações do jogo ou as transmita ao vivo pela internet.

A ENGTX295 custa, segundo o fabricante, 2 650 reais. O preço da ENGTX285 TOP chega a 2 080 reais.

Fonte: Info

sábado, 21 de março de 2009

Site descobre iMac por US$ 899


Um site italiano encontrou pistas de que a Apple pode estar planejando oferecer um iMac por US$ 899.

O SetteB.IT encontrou uma pequena menção ao iMac de 17 polegadas no próprio site da Apple, em uma área reservada ao mercado educacional.

Atualmente, a Apple tem em seu portfólio apenas iMacs de 20 e 27 polegadas, com preós a partir de US$ 1.199 e US$ 1.499, respectivamente.

A Apple não se pronunciou oficialmente sobre o suposto novo modelo ou quanto ele chegaria às prateleiras.

Mas um modelo de desktop de alta performance por menos de US$ 1.000 poderia ser uma jogada interessante para a Apple fortalecer sua presença no mercado de PCs, especialmente em tempos de crise e restrições orçamentárias.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Linux ganha mercado com a crise

Um estudo realizado pela IDC mostra que o Linux deve ganhar espaço nas corporações como consequência dos efeitos da crise. Atrás de redução de custos de suporte, 72% dos entrevistados disseram estar avaliando seriamente ou já terem decidido aumentar a adoção do Linux em servidores em 2009, enquanto mais de 68% farão o mesmo para desktops.

Além do fator econômico, 40% dos executivos da pesquisa planejam implementar fluxos de trabalho adicionais em Linux nos próximos 24 meses e 49% indicaram que o Linux será sua principal plataforma nos próximos 5 anos. Já os que afirmaram não adotar o software livre, justificaram que continuam hesitantes por causa da falta de suporte de aplicação e fraca interoperabilidade com Windows e outros ambientes como sua principal preocupação.

 

De acordo com Markus Rex, gerente geral e vice-presidente sênior para Soluções de Plataforma Aberta da Novell, as empresas também afirmaram que a adoção do Linux será ainda maior com o fortalecimento do suporte a aplicações Linux, interoperabilidade, capacidades de virtualização e suporte técnico.

Para 67% dos executivos, interoperabilidade e gerenciamento entre Linux e Windows são dois fatores importantes na escolha do sistema operacional. O segmento varejista tem o maior potencial de aceleração na adoção de Linux já que 63% dos entrevistados planejam um aumento no desktop e 69% consideram o mesmo no servidor. Já o setor governamental ficou para trás.

O Linux nos desktops deve ser utilizado especialmente para funções de escritório básicas, usuários técnicos de estações de trabalho e educação superior. Além disso, 50% dos executivos disseram que a migração para a virtualização está acelerando as adoções de Linux e 88% planejam avaliar, implementar ou aumentar o uso de software de virtualização no sistema operacional Linux nos próximos dois anos.

 

A crise econômica teve seu maior impacto nas Américas, nos serviços financeiros e governo. Mais de 62% dos entrevistados disseram que seus orçamentos sofreram cortes ou que estão apenas investindo no que é necessário.

A pesquisa foi realizada em fevereiro de 2009 com 300 profissionais de TI que supervisionam as compras de Linux e outros sistemas operacionais nas corporações. Para participar, as organizações deveriam ter mais de 100 funcionários. Entre os participantes, 55% tinham Linux como sistema de servidor em uso, 39% Unix e 97% Windows. A pesquisa foi encomendada pela Novell e pode ser acessa na integra no site da companhia.

Gmail integra 'botão de pânico': instale-o

Quantas vezes, na hora exata que enviamos um e-mail, percebemos um erro de digitação, ou então, que o remetente está errado? Era algo sem volta até ontem. Agora, o Gmail traz cinco segundos de tolerância para nossas caixas.

Anunciado ontem (18/2) pelo Google, o recurso chamado de “Undo Send” (algo como “desfazer envio”, em português) é simples. Uma vez ativado na área de aplicativos e complementos do Gmail, o “Labs”, ele sempre deixará a opção de cancelar a mensagem logo após o usuário enviá-la.

Em outras palavras, o recurso atrasa o envio por cinco segundos, tempo que o desenvolvedor julgou ser suficiente para você pensar direito no que digitou. Caso sinta alguma insegurança e queira revisar outra vez, basta clicar no botão “Desfazer” dentro do curto espaço de tempo e a mesma mensagem será aberta para edição.

Os usuários brasileiros conseguirão utilizar o recurso em português, sim, mas antes, para instalar, precisarão mudar o idioma da caixa de entrada por alguns minutos. Isso porque o “Labs” não pode ser acessado na língua portuguesa.

Para instalar a mini-aplicação, então, mude o idioma para inglês (pode ser tanto do Reino Unido quanto do Estados Unidos) nas “Configurações” do Gmail, no topo da tela. Feito, acesse o mesmo espaço que agora se chama “Settings” e clique em “Labs”.

Na lista, procure pelo nome já citado de “Undo Send” e dê um clique em “Enable” para ativar a ferramenta. Depois de salvas as configurações, o ‘botão de emergência’ já estará funcionando normalmente. Caso queira voltar ao idioma anterior, basta ir em “General” e selecioná-lo.

O “Undo Send” funciona da mesma maneira em português e em inglês – fato confirmado por teste da INFO Online. Infelizmente, não se pode estipular o tempo desejado de tolerância antes de mandar e-mails.

O“Mail Goggles”, por sua vez, consegue ser mais personalizável e rigoroso. Elaborado para barrar as chamadas “mensagens etílicas” pela noite, ele propõe desafios aritméticos antes do envio de cada e-mail. A vantagem é que ele pode ser programado para ser usado por todo o tempo, ou somente em alguns períodos do dia, na página de configurações gerais.

 

Falha em chips Intel permite criar rootkits

SÃO PAULO – Pesquisadores de segurança afirmam que uma falha em chips da Intel pode ser usada para fins maliciosos.

Os pesquisadores Joanna Rutkowska, presidente da empresa polonesa Invisible Things Lab, e Loïc Duflot, pesquisador do governo francês, mostram em separado estudos provando a existência de uma vulnerablidade no sistema de cache de CPUs Intel.

A falha, segundo eles, oferece meios para atacar o SMM (System Management Mode) das máquinas. Isso permitiria a criação de rootkits extremamente difíceis de detectar. Os rootkits, como se sabe, são um tipo de malware que se oculta dos programas de segurança, como antivírus e anti-spyware.

Joanna Rutkowska e Loïc Duflot descobriram a falha em pesquisas separadas. Rutkowska é conhecida nos meios de segurança por ter desenvolvido em 2006 a prova de conceito de um rootkit chamado Blue Pill, apresentado como “100% indetectável“ no Windows Vista.

Cadillac terá Wi-Fi a partir de abril

Um Cadillac dispensa apresentações. Mas quando ele vem com conexão sem fio para internet em seu interior, precisa ser descrito com mais ênfase.

A General Motors, dona da divisão Cadillac, anunciou ontem (19), que o modelo mais vendido da marca, o CTS Sports Sedan, virá com Wi-Fi fornecido por roteador da empresa Autonet Mobile, nos Estados Unidos.

Todo o sistema opcional se localiza no porta-malas do automóvel e conta com uma rede 3G própria, que pode alimentar a navegação pela rede de dispositivos móveis, como notebooks, netbooks e smartphones.

A Autonet Mobile diz que caso não haja cobertura de 3G na área, o acesso se dá via 2,5G, por onde o usuário pode se conectar a internet a uma distância de até 45 metros de distância do carro.

Com velocidade superior a 800 Kbps, os planos de acesso serão de US$ 29 por 1G de dados de transferência, e de US$ 59 por 5GB de transferência. O custo do roteador e da instalação tem preço estimado de US$ 499, ainda não confirmado pelas empresas. A certeza é que um Cadillac CTS custa, no mínimo, US$ 36 mil.

A opção deve chegar ao mercado em abril, simultaneamente a sua apresentação em Nova Iorque. A GM diz que o recurso é feito para ser usado apenas por passageiros. Por meio do novo recurso, uma família pode acessar e-mails, mensageiros instantâneos e páginas na web sem sair do carro, durante uma viagem, por exemplo.

 

quinta-feira, 19 de março de 2009

Microsoft já planeja segunda geração da mesa Surface

A primeira versão da Surface, mesa multitoque da Microsoft, ainda nem chegou a países como o Reino Unido, aonde estréia na semana que vem, e fontes revelam que uma nova versão do produto já está sendo desenvolvida.

A informação foi publicada pelo site da BBC, após a declaração de Joe Olsen, desenvolvedor da Phenomblue, empresa que escreve aplicativos para a Surface.

“Eles sequer têm ideia de onde irão comercializá-la”, disse Olsen, que também revelou que a mesa está sendo desenvolvida pela equipe de Research&Design, e que deve ser lançada em dois ou três anos.

Entre as novidades prometidas para a segunda versão estão sensores infravermelho, que reconhecerão gestos e movimentos sem a necessidade do toque. E, de acordo com o site Digital Trends, a nova geração da mesa está sendo apelidada de SecondLight, e virá acompanhada de um segundo projetor, que poderá mostrar mais uma camada de informações acima da apresentada pela tela.

Erik Climzak, diretor criativo da Clarity Consulting, outra empresa que produz aplicativos para a mesa, espera que a próxima versão da Surface venha com câmeras de alta definição. “Por enquanto, elas estão limitadas ao nível de detalhes que conseguem captar”, ele disse.

A Surface é uma mesa multitoque da Microsoft e possui um computador que responde a gestos naturais da mão e outros objetos físicos. A superfície da mesa é uma tela que interage com os movimentos. Mostrada pela primeira vez em em maio de 2007, foi lançada para venda em abril de 2008. A Microsoft nada comentou respeito de datas de lançamento ou de valores referentes à segunda geração da mesa.

 

quarta-feira, 18 de março de 2009

Sun apresenta novos serviços na nuvem

A Sun Microsystems está se preparando para concorrer com a Amazon.com no novo mercado de serviços de computação em nuvem acessados pela web.

A Sun, que vende computadores sofisticados para corporações e instituições financeiras, vai alugar o uso de servidores e espaço de armazenamento de dados para desenvolvedores que poderão utilizar esses recursos por meio da internet.

A computação em nuvem está se tornando o assunto mais comentado da indústria. O conceito refere-se a sistemas que permitem a consumidores, desenvolvedores e empresas usarem a internet para acessar programas de dados de outros centros de computadores.

Os serviços da Sun Cloud, que compete diretamente com um produto da Amazon que está no mercado há anos, vai a princípio ser direcionado a estudantes, programadores e start-ups que não podem comprar seus próprios servidores e equipamentos de armazenamento.

Os executivos da Sun demonstrarão os novos serviços da companhia, que estarão disponíveis a partir de julho, durante uma conferência para desenvolvedores que acontecerá nesta quarta-feira (18/03) em Nova York.

 

Google pede ajuda para construir pontes

Quer ajudar a modelar o mundo? Pois faça isso, primeiro, via Google Earth.

A companhia de Sergey Brin e Larry Page quer que usuários de todo o mundo colaborem com a construção de pontes do mundo real para embarcar em seu software de mapas. E para isso, organiza um concurso via seu programa de modelagem, o Google SketchUp.

As maquetes digitais devem ser entregues via upload no site de hospedagem Google Warehouse 3D (ou Armazém 3D, na versão em português), depois do internauta se registrar online  e escolher a ponte que irá modelar. A rede avisa, porém, que há uma lista de construções, no Google, que não devem ser feitas, pois já foram aprovadas (clique aqui para conferir).

O Google diz que qualquer ponta é bem-vinda e importante. Não importa o quão obscura, rural ou periférica ela seja.

O vencedor, o segundo e o terceiro colocado ganharão prêmio monetários, segundo Allyson McDuffie, o Gerente do Programa de Educação do SketchUp: respectivamente, US$ 5000, US$ 2500 e US$ 1000, além da glória online.

A competição aceitará os trabalhos enviados até o dia 15 de junho de 2009. O julgamento vai levar em conta a precisão de escala e localização, o foco em detalhes importantes, a beleza das texturas, os complementos como objetos e outros dados relevantes da obra.

Para poder participar, baixe gratuitamente a última versão do editor de objetos tridimensionais, o Google SketchUp 7, no Download INFO.

 

Adobe satisfaz previsões de Wall Street

A Adobe Systems prevê um declínio no lucro trimestral em linha com as projeções de Wall Street, o que fez suas ações subirem 2%.

A fabricante dos programas Photoshop e Acrobat, cujas vendas estão sofrendo porque profissionais de criação têm diminuído a compra das novas versões, também divulgou os resultados do primeiro trimestre fiscal, finalizado em 27 de fevereiro, em linha com os dados preliminares divulgados duas semanas atrás.

A Adobe prevê lucro, excluindo itens extraordinários, entre 0,31 e 0,38 dólar por ação no segundo trimestre fiscal, que se encerra em 29 de maio, com receita entre 675 milhões e 725 milhões de dólares.

Analistas esperam que a fabricante de software, que conta com rivais como Microsoft e Apple, reporte lucro de 0,35 dólar por ação, com receita de 699 milhões de dólares, segundo a Reuters Estimates.

A empresa anunciou lucro por ação no primeiro trimestre, excluindo itens extraordinários, de 0,45 dólar --em linha com a projeção feita em 4 de março, que mostrava ganhos de 0,44 a 0,45 dólar.

A receita caiu 12% em comparação com a do ano anterior, para 786 milhões de dólares, também em linha com a projeção que apontava valores entre 783 milhões e 786 milhões de dólares.

 

Internet lenta? A culpa é do vídeo!

Cara, minha internet está um droga! O que acontece!?

Da próxima vez que você ouvir essa pergunta, responda como a Cisco: o boom de vídeos está detonando a infraestrutura das operadoras telecom.

O estudo Barômetro Cisco divulgado hoje colocou nas costas dos fãs de vídeos a responsabilidade pelo excesso no tráfego de dados da web brasileira no ano passado.

Quem possui contas de 1 Mbps ou 2 Mbps (33% dos usuários estão nessa faixa no Brasil) é quem mais consome banda com vídeo, seja por streaming ou trocando vídeos no P2P, diz a análise.

O mesmo relatório mostra que os donos de contas magrinhas (de 512 kbps, por exemplo) estão desistindo dos vídeos. O streaming é tão lento em suas máquinas que eles simplesmente desencanam.

Um outro estudo, o Cisco Visual Índex, diz que entre 2007 e 2012 o tráfego de dados na web brasileira vai crescer seis vezes. Nessa segunda análise, os vídeos têm o atenuante de compartilhar a culpa com as redes sociais.

Do jeito que as coisas vão é capaz de surgir por aí o “video shapping”, nos mesmos moldes do traffic shaping que estreita o P2P.

Há quem diga que a responsabilidade é das teles, que cobram caro e têm pouca infra para dar conta de seus clientes. Por esse motivo elas até colocariam uma cláusula “só garantimos 10% da velocidade" em seus contratos.

Não sei se isso é verdade, mas como contribuição para uma web menos lenta vou parar de recomendar virais para meus vizinhos.

 

HTC terá pelo menos 3 aparelhos com Android

Em uma conferência do banco americano Merryl Lynch em Taipei, Taiwan, o chefe da companhia HTC foi questionado sobre o número de aparelhos com o sistema operacional Android.

“No mínimo três este ano”, respondeu o CEO Peter Chou. E, depois disso, preferiu se manter calado, ocultando maiores detalhes.

O que se sabe é que apenas dois deles podem ser considerados novidades, já que o HTC Magic/ G2 já foi anunciado na Mobile World Congress, em Barcelona. Na época, o gadget causou certo alvoroço por, ao contrário de seu antecessor G1, não possuir um teclado QWERTY. Em vez disso, utiliza um teclado dentro da tela sensível ao toque.

O smartphone estará à venda mês que vem somente na Europa, a princípio.

Peter Chou se recusou a comentar se os outros dois telefones da marca também seguiriam a mesma lógica de mercado.

 

terça-feira, 17 de março de 2009

Google te ajudará a reduzir conta de luz

O Google relevará em breve um programa gratuito que ajudará consumidores a controlarem o uso doméstico de energia elétrica e economizar.

Dan Reicher, diretor de Mudanças Climáticas e Iniciativas Energéticas do Google, disse que a companhia está conversando com empresas de serviço público dos EUA, da Europa e da Ásia para disponilizar o software a usuários comuns.

Como parte dos seus esforços para reduzir a emissão de CO2, o gigante de tecnologia declarou em fevereiro que aproveitaria sua experiência com programas baseados na web para criar um sistema que exibisse na tela de um computador ou de um celular o consumo de eletricidade nas casas dos cidadãos em tempo real.

“Muito em breve esse programa estará disponível para os consumidores”, adiantou Reicher, mas sem divulgar a data exata em que o software chegará ao mercado.

“Quando comecei a observar o consumo de eletricidade na minha própria casa, descobri que gastava uma enorme quantidade de energia com o sistema de ar condicionado. Até agora não havia percebido que esta é a principal mudança que eu devo fazer na minha casa para diminuir o consumo de eletricidade”, ele contou.

O Google citou na época estudos mostrando que o acesso à informação acerca do gasto energético em uma casa leva à diminuição de 5% a 15% do valor das contas de luz. 

 

iPhone 3.0 terá MMS, copy e paste e busca

A nova versão do sistema operacional do iPhone trará muitas novidades esperadas, como suporte a copy and paste, MMS, busca, conexão P2P, Bluetooth estéreo, uso de recursos de mapas em aplicativos e notificações via push, entre mais de 100 modificações.

A companhia apresentou na tarde desta terça-feira (17/03) as novidades do iPhone OS 3.0 para uma platéia em Cupertino, na Califórnia. O evento foi transmitido ao vivo por sites especializados em tecnologia, como o Engadget.

Uma das novidades mais esperadas, a função de copy and paste foi confirmada. A recurso deve funcionar entre aplicações, o que significa que é possível copiar um texto do aplicativo Notes, por exemplo, e colar em um e-mail. Torpedos SMS, textos de aplicativos e até fotos também podem ser recortados, copiados e colados.

Os botões da caixa de cópia de texto permitem expandir ou retrair a área de seleção. Se você errar, basta chacoalhar o aparelho que a última ação será desfeita.

Finalmente, as mensagens multimídia (MMS) - como fotos, áudio e vídeo - serão suportadas pelo iPhone. O aplicativo de torpedos também ganha novas funções, como a possibilidade de encaminhar mensagens e deletar SMSs em grupo.

A usabilidade do aparelho também deve melhorar com novidades como busca e teclado em modo de paisagem para e-mails e outros aplicativos.

Aplicações mais ricas

Os desenvolvedores também foram beneficiados com novos recursos para seus aplicativos. A primeira função apresentada foi o pareamento de iPhones que estejam próximos via Bluetooth. Aparentemente o recurso de P2P não permitirá troca de arquivos, apenas interação no uso de aplicativos – como jogos, por exemplo - e poderá ser usado pelos desenvolvedores em seus programas.

Outra novidade é a criação de uma API pela Apple e pelo Google para que os desenvolvedores possam usar mapas em seus aplicativos. A Apple comunicou ainda que o novo sistema permitirá aos programadores o envio de notificações via push (em tempo real) para os usuários de seus softwares.

Disponibilidade

Infelizmente, algumas das novidades - como MMS e Bluetooth estéreo - não rodarão na versão clássica do iPhone.

A atualização do software será gratuita para os atuais usuários do iPhone e deve chegar no verão dos Estados Unidos, que vai de junho a setembro. Usuários do iPod touch terão que pagar US$ 10 pela nova versão do sistema.

Os desenvolvedores terão acesso imediato ao beta e ao kit de desenvolvimento (SDK) do novo sistema.

 

Nova comunidade tenta resgatar Discografias

Apenas um dia após a comunidade Discografias anunciar que sairia do ar, o orkut já conta com o grupo “Discografias – o retorno!”, que reúne 5,5 mil usuários.

A comunidade original reunia mais de 900 mil perfis e era acessada por ao menos um milhão de usuários ativos, já que não é preciso associar-se ao grupo para ler seu tópicos e baixar músicas.

No grupo, usuários postavam links de serviços de troca de arquivos como RapidShare, EasyShare e MegaUpload que permitiam baixar discografias inteiras de artistas populares.

Alvo de críticas e ameaças da APCM (Associação Anti-Pirataria de Cinema e Música), os moderadores da comunidade optaram por seu fim, com o objetivo de tentar escapar de processos na Justiça. Em comunicado, os líderes do grupo afirmam que trabalharam arduamente para “contribuir com a cultura e entretenimento sem aferir nenhum tipo de vantagem financeira”.

Os pontos fortes da comunidade eram o amplo banco de dados e a criteriosa organização dos diretórios, o que foi perdido. No novo grupo, o dono da comunidade (um perfil falso) exorta os usuários a “reconstruir” a discografias.

A APCM criticava há meses a comunidade Discografias, a quem classificava como “piratas”. Nos fóruns da comunidade, o Discografias era definido como um serviço de troca de arquivos que, por não gerar faturamente, não poderia ser considerado pirataria. Para os membros do grupo, piratas são os comerciantes que vendem CDs falsos nas ruas.

Em nota, a associação afirma que a comunidade "dedicava-se a disponibilizar músicas de forma ilegal, ignorando todos os canais legais de divulgação e uma cadeia produtiva de compositores, autores, cantores e produtores fonográficos".

No texto, a APCM diz que "a comunidade, assim como outras fontes de infrações aos direitos de artistas e produtores, continuará sendo observada".  A associação diz ainda que considerou "um avanço" o fim da Discografias original.

 

Dell Adamo, o laptop mais fino do mundo, chega ao Brasil!

A ditadura da magreza está em alta no mundo dos eletrônicos também. Não que isso seja fator primordial para uma compra, mas o Adamo, da Dell, desde que foi anunciado com uma carcaça mais fina que a do MacBook Air, chamou muito a atenção.

Ainda mais pelas imagens trazidas desde a CES 2009, em janeiro. A peça, definitivamente, é uma das mais formosas da categoria que já passaram por nossos olhos. Sua cobertura de alumínio está por todo o corpo magrelo, que tem espessura de 1,65 centímetros e tela de 13,4 polegadas – só para comparar, o Vaio P tem 2 cm de espessura e painel de 8 cm.

Ele está à venda em 23 países (inclusive no Brasil!) e será entregue a partir do dia 26. Serão duas versões por aqui, nas cores “Onix” e “Pearl” – alguém explica por que não dizer nomes de cores mais simples, como “preto” e “cinza claro”?

A versão mais simples vem com processador Intel Core 2 Duo, Centrino, de 1,2 GHz, memória RAM de 2 GB e 128 GB de SSD, por R$ 8998 – alguém explica por que não R$ 8999?

Já se você estiver mais economicamente disposto, o modelo de R$ 11.299 é para você, com configuração similar a outra, mas com os diferenciais de possuir 4 GB de RAM e processador de Intel Core 2 Duo de 1,4 GHz.

O que é comum a ambos Adamos? Bom, as portas USB (3), HDMI, DVI e VGA. Também o sistema operacional Windows Vista Home Premium, webcam de 1.3 megapixels, Bluetooth e a bateria de mais de 5 horas de duração. E uma placa de vídeo integrada Intel GMS45.

Será que o mercado brasileiro vai ignorar as turbulências econômicas e adotará alguns Adamos?

 

Internet faz 20 anos e discute expansão social

Ela é considerada como a maior criação dos últimos séculos para alguns. Para outros, significou a revolução da forma de se comunicar e até de se socializar. A rede mundial de computadores - a WWW - completou nessa sexta-feira 20 anos de sua criação e, sábado, a comunidade científica internacional marcará a data com celebrações em várias partes do mundo.

Mas para o responsável pela inovação, Tim Berners-Lee, a tecnologia ainda está em sua "infância". Apesar do impacto que gerou em todo o mundo, apenas um quarto da população mundial tem acesso à Internet. Duas décadas depois de sua criação, a WWW levanta questões até mesmo estratégicas por parte dos governos sobre quem é que está controlando a rede.

 

Em março de 1989, o pesquisador do CERN (Centro de Pesquisas Nucleares) Tim Berners-Lee publicou um estudo apontando como promover a troca de documentos e pesquisas entre científicos de todo o mundo. Até aquele momento, a rede de transmissão era usada exclusivamente pelos militares americanos e poucas instituições especializadas.

A Internet existe, de várias formas e modelos, desde os anos 50, o que permitiu a transmissão de dados de vários tipos nas últimas décadas. Mas o que Berners-Lee criou foi a possibilidade de haver uma ligação entre os conteúdos de servidores e, assim, permitir que documentos e outros textos fossem compartilhados por qualquer um. A esse projeto ele chamou de "sistema de informação universal interligado". Mais tarde, ganhou o nome de WorldWide Web (WWW).

O que o pesquisador fez, portanto, foi transformar a tecnologia em uma rede que poderia ser usada por qualquer pessoa e seu projeto se transformou na base o que se conhece hoje como Internet. A partir de seu projeto, o HTML (Hypertext Markup Language) foi criado, permitindo o uso de imagens em versões eletrônicas. A base da Internet, então, foi estabelecida com a combinção dessa linguagem com a URL (Uniform Resource Locator) e HTTP (Hypertext Transfer Protocol). Estava montada a estrutura para a transferência de documentos.

Antes mesmo da criação do Windows, o sistema entrou em funcionamento em 1991 para os pesquisadores do CERN. O sistema ganhou popularidade quando, em 1993, os endereços puderam ser registrados. O número de servidores explodiu: passou de 250 em 1993 para 73 mil dois anos depois.

Berners-Lee, em uma discurso ao Parlamento britânico nesta semana, alertou que a rede mundial de computadores está prestes a dar seu segundo grande salto. O objetivo é ter uma Internet inteligente que possa procurar respostas aos usuários, e não apenas listar sites onde a questão colocada existe.

Mas isso ainda levaria mais uma década para estar plenamente em funcionamento. "No futuro, todos os dados do mundo estarão na rede", aposta o criador da Internet. "As pessoas estão criando novos sistemas sociais, novas formas de governar a vida", disse. Sua esperança é de que o sistema criado por ele há 20 anos ajude o planeta a "se entender".

Enquanto isso, o mundo ainda precisa descobrir como lidar com a censura de alguns países contra a Internet, contra fraudes na rede e verdadeiras organizações criminosas que passaram a existir graças à existência da Internet.

Mesmo assim, o crescimento é considerado como importante, segundo a União Internacional de Telecomunicações (UIT). Em 2002, 11% do mundo tinha acesso à rede.

A expansão em geral da Internet no Brasil também deixa a desejar. Hoje, apenas 15% das casas no País tem acesso à rede. Cinco anos antes, essa taxa era de 10%. No total, 35% dos brasileiros tem acesso à Internet. Em 2002, essa taxa era de 9%.

Fonte: O Estado de S. Paulo

 

segunda-feira, 16 de março de 2009

HP cria programa de treinamento técnico - SENAI SP

A HP Brasil está com um novo programa de preparação de jovens para o mercado de trabalho. A empresa formará turmas de um curso técnico de informática e dará suporte aos estudantes, incluindo aulas de inglês e aconselhamento com funcionários da HP. Um dos objetivos da companhia é suprir a carência de profissionais qualificados em TI.

Na primeira edição do programa, 64 estudantes de escola pública com idade entre 17 e 24 anos foram selecionados. A HP escolheu o SENAI-SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) como parceiro e ficara responsável por duas salas de aulas com laboratórios práticos, nas instalações da Escola Senai Suíço-Brasileira. Os participantes do projeto farão o curso técnico de Informática em Redes de Comunicação.

A grade curricular do curso traz disciplinas de implementação e administração de redes de comunicação. O curso tem duração de dois anos e é aprovado pelo MEC – todos os alunos foram aprovados no processo seletivo da instituição. Após a conclusão, os alunos poderão solicitar o CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia).

 

Como parte do programa, a HP oferecerá uma série de benefícios a estes estudantes, incluindo aulas de inglês duas vezes por semana, alimentação, transporte, participação em workshops e seminários especiais da empresa e aconselhamento com funcionários da HP.

Os jovens atendidos pelo projeto terão encontros mensais com os “mentores” – funcionários da HP que ficarão responsáveis por transmitir a sua experiência. O programa prevê ainda 400 horas de estágio obrigatório, que poderão ser oferecidas pela própria HP ou em empresas parceiras da HP.

Nova patente da Apple se inspira em Wiimote

A Apple está explorando o modo de interação além das telas sensíveis ao toque. Inspirada no sucesso dos controles Wiimote da Nintendo, a Apple TV deve ganhar uma ‘varinha sensorial’.

O novo artefato é descrito no US Patent & Trademark Office como uma “varinha remota para controlar as operações de um sistema de mídia” - e pela imagem tudo indica que se trata da TV da Apple.

De acordo com a definição, o funcionamento é similar aos controles do Nintendo Wii, já que o cursor é orientado pelos movimentos do usuário em frente à tela sem fio algum.

Dentre as funções, a Apple explana sobre a possibilidade de controlar “uma pluralidade de operações e aplicações que podem estar disponíveis a partir do sistema de mídia, incluindo, por exemplo, operações de zooms, uma aplicação de teclado, uma aplicação de imagem, uma aplicação de ilustração e uma aplicação de mídia”.

O acessório poderá utilizar um acelerômetro ou giroscópio junto a “um ou mais módulos infravermelhos posicionados nas imediações da tela”, o que, a partir disso, se torna inegável a semelhança com a tecnologia do Wiimote.

A nova tecnologia da Apple, porém, não fará concorrência com os games, dado que servirá para aplicações de mídia que se parecem com um controle remoto sensorial. Mas é bom ressaltar que muitas patentes da companhia não saem do papel.

 

Prós e contras da computação em nuvem

Venerada por uns e criticada por outros, 2009 promete ser um ano de decisão para o futuro da computação em nuvem.

 

Uma das promessas tecnológicas para 2009 é a famigerada computação em nuvem. Famigerada porque muito se falou, alguma coisa se mostrou e as críticas que surgem a esse conceito embrionário são muitas. Mas será que dá mesmo para confiar documentos sigilosos e aplicações críticas num ambiente fisicamente disperso?

Grandes empresas, como Microsoft, IBM e Google, dizem que sim. A Microsoft, com o Windows Azure, e o Google, com o App Engine, são os nomes mais conhecidos nessa disputa. As duas companhias criaram, inclusive, ferramentas para quem quer desenvolver os próprios programas na nuvem. E já faz um tempo que se fala nos sistemas operacionais que serão baseados na nuvem – você poderá acessar independente de que máquina estiver usando o seu computador pessoal.

 

Institutos de pesquisa e especialistas em TI também defendem que a tecnologia independente do hardware deve ganhar consistência nos próximos anos. Para Celso Poderoso, especialista em sistemas da informação e coordenador dos cursos de graduação tecnológica da FIAP, a computação em nuvem está entre as seis tendências de 2009. Na opinião de Poderoso, este tipo de tecnologia abre espaço para versões simplificadas de netbooks, já que boa parte de seus dados poderão ser armazenados fora do hardware.

A nuvem também é apontada como um dos 10 bits certeiros para 2009, reportagem dedicada a identificar as tecnologias que podem ajudar pequenas e médias empresas a crescer em 2009. Em geral, a tecnologia apresenta serviços com pagamento mensal de acordo com o número de usuários. As PMEs podem reduzir despesas com licenças de software e computadores. “A empresa compra o serviço. Paga pelo que usa e usa apenas o que necessita”, diz Ricardo Chisman, sócio da consultoria Accenture no Brasil.

 

A contrapartida
Os principais críticos da computação em nuvem dizem que não dá para confiar num ambiente com defesa heterogênea, com infraestrutura de armazenamento e proteção diferentes. Recentemente, segundo matéria publicada pela Agência Reuters, acadêmicos e pesquisadores perceberam recentemente o desaparecimento de alguns arquivos de jornais mais antigos até há pouco disponíveis na web. Os problemas foram identificados depois que a PaperofRecord.com, uma coleção de mais de 20 milhões de páginas de jornais que variam do Toronto Star a periódicos de aldeias mexicanas, passando por publicações de Perth, Austrália, se fundiu ao Google News Archive.

O diretor da British Library recentemente alertou em artigo para o jornal Observer que, se essa memória digital não for reparada, corremos o risco de "criar um buraco negro para os futuros historiadores e escritores". E por que isso não poderia ocorrer com documentos confidenciais e importantes de empresas, ou mesmo de dados de clientes? É uma pergunta que os que investem em tecnologias baseadas em data centers devem responder para convencer os mais conservadores.

 

E a segurança?
Quando a computação em nuvem começou a ganhar as rodas de conversas da turma de TI, muito se falava da segurança de não deixar informações armazenadas somente num local. Com isso, a tecnologia de preço mais baixo ganhava um grande aliado – a proteção de dados.

Mas notícias recentes ponderam essa primeira impressão. Na reportagem Computação em nuvem? Sim, mas cuidado, o editor sênior da INFO, Carlos Machado, mostrou que uma nova falha num sistema de computação em nuvem mostra como uma vulnerabilidade pode se propagar por vários servidores. Um erro de XSS, ou cross-site scripting, identificado numa das aplicações do Baynote chamada Social Search, fornecedor californiano de software como service, abriu uma brecha para atacar os clientes da empresa. Segundo o especialista em segurança Russ McRee, o incidente põe a nu o calcanhar de aquiles da computação em nuvem.

 

Kaspersky com a palavra
Na opinião de Eugene Kaspersky, criador de uma das empresas de segurança mais promissoras da atualidade, a segurança totalmente baseada na nuvem não funciona. “Acredito que no futuro usaremos aplicações híbridas. Algumas delas funcionarão na web, outras no desktop. Na área de segurança, certamente os bancos de dados ficarão sempre na web. É o caso das listas de restrições a URLs suspeitas”, diz Kaspersky.

Recentemente, a Kaspersky patenteou uma nova tecnologia para detectar e remover programas maliciosos. Ao contrário do que se esperava, a novidade da companhia não se baseia no processamento em nuvem, mas fazia a detecção de vírus mediante a monitoração dos eventos do sistema. Basicamente, o acompanhamento de cada pequeno movimento do sistema operacional pode revelar a atividade de vírus e outros códigos maliciosos.

Até alguns meses, a única novidade era o antivírus em nuvem – que, grosso modo, consiste em manter um módulo instalado na máquina do usuário e outros localizados em servidores do fornecedor do programa. Quando um procedimento suspeito é detectado e não identificado pelo módulo local, ele remete partes dos arquivos para serem analisadas na nuvem.

Qual SO de smartphone é o mais usado?

O ano passado foi agitado na área dos sistemas operacionais para aparelhos móveis. Se Android nasceu, Palm OS bateu as botas. Mas, afinal, em 2008, qual foi a plataforma mais usada no mundo todo?

Segundo pesquisa do Gartner Inc., a resposta ainda é Symbian - e com bastante folga. Mais da metade do mercado de vendas para consumidores finais é da marca: 52,4 % do total.

Bem atrás, na segunda posição, detendo a fatia 16,6%, vem o Research In Motion, o sistema operacional do BlackBerry, que cresceu nada menos do que 96,7% de 2007 para 2008 – no último relatório, há dois anos, detinha apenas 9,6%.

O terceiro sistema mais utilizado em 2008, ainda segundo o relatório, foi o Windows Mobile, da Microsoft, com 12,4% e crescimento na participação anual de 12,2%.

O mais curioso é que a líder disparada foi a única marca entre as três primeiras que obteve queda na participação do mercado e também nas vendas da última pesquisa para a atual. A posição da Symbian no mercado foi reduzida em 6,1% e cerca de 4.750.000 menos aparelhos foram vendidos com a plataforma.

O quarto sistema operacional de telefones móveis que mais foi usado em 2008 foi o Mac OS X, graças à “iPhone Mania”, guinada pelo lançamento da versão 3G no primeiro semestre.

O crescimento de 2007 para 2008 foi o maior entre todas as concorrentes: 245,7% de ganho de mercado. Ano retrasado, o Mac OS X esteve em 3,36 milhões de aparelhos vendidos, enquanto, nos doze meses de 2008, acumulou mais de 11,41 milhões de móveis comerciados com o sistema operacional.

Segundo relatório da Gartner, o Mac OS X abocanhou, ano passado, 8,2% de todo o mercado. Linux vem logo atrás com 8,1%, enquanto, o Palm OS teve apenas 1,8% de participação no mercado.

O Android não entrou no ranking de sistemas operacionais, pois esteve presente na categoria “outros OSs”, que juntamente com outros aparelhos, somou 1,1% do mercado em 2008.

 

sexta-feira, 13 de março de 2009

Scanners modernos leem a mente das pessoas

Cientistas demonstraram pela primeira vez que pode ser possível "ler" a mente de uma pessoa pela simples observação de sua atividade cerebral.

Usando uma moderna scanner para medir o fluxo sanguíneo, pesquisadores britânicos anunciaram na quinta-feira que eram capazes de dizer em que posição estavam os participantes voluntários de um teste, em um ambiente de realidade virtual gerado por computador.

"Surpreendentemente, a simples observação dos dados cerebrais permitia prever exatamente onde eles estavam", disse aos jornalistas Eleanor Maguire, do Wellcome Trust Centre for Neuroimaging, na University College London.

"Em outras palavras, fomos capazes de 'ler' suas memórias espaciais", acrescentou.

A descoberta abre a possibilidade de desenvolver máquinas que leem diversos tipos de memórias, ainda que Maguire tenha dito que o risco de leituras de pensamento "intrusivas" ainda estejam muito distantes.

Ela acredita, em lugar disso, que a descoberta, reportada em artigo na revista Cell Biology, ajudará na pesquisa sobre distúrbios de memória como o mal de Alzheimer, ao esclarecer de que maneira a região cerebral do hipocampo registra memórias.

Maguire e seus colegas usaram uma tecnologia conhecida como ressonância magnética funcional, ou fMRI, que coloca em destaque as regiões do cérebro quando estas entram em atividade.

Ao estudar os cérebros das pessoas enquanto estas jogavam um jogo de realidade virtual, eles puderam medir a atividade de certas regiões do hipocampo, uma área do cérebro conhecida por suas funções essenciais para a navegação e memória.

A pesquisa abre caminho para analisar como outros pensamentos -- entre os quais memórias mais amplas do passado ou visualizações do futuro -- podem ser codificados nos neurônios.

Isso poderia permitir, no futuro, o uso da fMRI para exames forenses de uma série de memórias e pensamentos, o que poderia resultar em um sério dilema ético.

Por enquanto, porém, a tecnologia só funciona com voluntários; Demis Hassabis, um dos pesquisadores, declarou que demorará pelo menos dez anos antes que aplicações forenses se tornem possíveis.

 

Água do futuro virá do esgoto

Caso você tenha visitado a Disney nos últimos meses e bebido goles de água de alguma das fontes do parque, provavelmente já provou o sabor da água do futuro.

Autoridades de Orange County, nos EUA, garantem que o líquido high-tech é gostoso e saudável.

A água do futuro é resultado de uma pesquisa de um ano a respeito de técnicas para purificar água desperdiçada e bombeá-la no solo com o objetivo de reabastecer mananciais vazios que fornecem grande parte da água consumida na região.

A fábrica de reciclagem de 481 milhões de dólares – a maior desse tipo no mundo – utiliza microfiltragem, osmose reversa, luz ultravioleta e desinfecção de peróxido de hidrogênio para tratar 70 milhões de garrafas – cerca de 265 milhões de litros – de água de esgoto diariamente, quantidade suficiente para as necessidades de líquido de 500 mil pessoas.

Sem ressaltar a origem da água high-tech, oficiais de County preferem chamá-la de “Sistema de Reabastecimento de Água Subterrânea”, um nome escolhido após projetos similares implantados em Los Angeles e em San Diego serem duramente criticados e depreciados pelos cidadãos e pelos políticos.

 

Ex-Google é novo CEO e presidente da AOL

Um ex-executivo do Google é o mais novo CEO da AOL e terá o desafio de revigorar a unidade de internet da Time Warner.

Tim Armstrong, que trabalhava como vice-presidente sênior e chefe de publicidade para a América do Sul e do Norte na gigante das buscas, substituirá Randy Falco, atual CEO da AOL e veterano executivo da indústria de entretenimento que assumiu esse cargo em novembro de 2006.

Falco, junto com o presidente e COO da AOL, Ron Grant, estão deixando a companhia. Armstrong, de 38 anos de idade, também assumirá a posição de presidente da AOL.

A mudança – parte de uma ampla restruturação da companhia – sugere que a separação da unidade de internet da Time Warner é bastante provável. Jeff Bewkes, CEO do conglomerado, disse recentemente que está interessado em um fusão ou na venda da AOL.

Além disso, Bewkes declarou em comunicado que Armstrong poderá ajudar a Time Warner a decidir a estrutura mais adequada para as operações da unidade.

“Tim é o executivo certo para guiar a AOL em direção ao seu próximo estágio de evolução”, afirmou Bewkes.

Armstrong fez parte da equipe do Google durante oito ano meios e foi o primeiro funcionário da empresa fora da sede em Mountain View – ele trabalhava no escritório de Nova York.

 

quinta-feira, 12 de março de 2009

iPhone OS 3.0 chega semana que vem

A Apple vai apresentar na próxima terça-feira (17/01) a próxima versão do sistema operacional do iPhone. A empresa agendou um evento na data para mostrar o iPhone OS 3.0 à imprensa norte-americana.

Além do novo sistema operacional, a Apple deve apresentar um novo kit de desenvolvimento, para que os programadores possam explorar as novas funcionalidades do software em seus aplicativos.

O blog Engadget já prometeu cobertura ao vivo do encontro, marcado para 10h00, horário da costa oeste norte-americana (14h00 do Brasil).

Quais serão as novidades? Faça suas apostas.

O sistema operacional vai para a web

Micro, servidor, smartphone... e nuvem. A mais recente adição à lista de plataformas computacionais começa a ser palco de competição feroz. A Microsoft, com o Windows Azure, e o Google, com o App Engine, são os nomes mais conhecidos nessa disputa. Além de oferecer aplicativos online prontos, as duas empresas criaram ferramentas para quem quer desenvolver os próprios programas na nuvem. Fora do circuito das grandes empresas, sistemas alternativos como o eyeOS oferecem soluções de código aberto que também permitem rodar e construir aplicativos — ainda que não sejam sistemas operacionais no sentido estrito dessa expressão. A onda atual da computação em nuvem teve seu impulso inicial mais importante com os serviços online da Amazon.com, que começaram a ser oferecidos em 2002. No início, a empresa basicamente vendia tempo de processamento em seus servidores. Depois, foi incorporando mais e mais serviços ao pacote. Sua plataforma Elastic Compute Cloud (EC2), que começou a operar em 2006, permite desenvolver aplicativos e hospedar sites. No ano passado, a EC2 saiu da fase beta e ganhou a opção de rodar Windows Server e SQL Server nela. Isso permite portar para a nuvem, sem grandes dificuldades, programas desenvolvidos originalmente para a plataforma da Microsoft. A Amazon.com não tem um software chamado de sistema operacional de nuvem. O que ela oferece é um conjunto amplo de ferramentas que gerenciam aplicativos, armazenamento de dados e recursos de hardware. Em seu conjunto, cumprem funções de um sistema operacional.

 

O Google chegou
Considerando toda a força que tem em serviços na web, o Google demorou para oferecer uma plataforma para desenvolvimento de aplicativos online. Ela veio na forma do Google App Engine, anunciado em abril de 2008. Por enquanto, o serviço, ainda em fase beta, é gratuito. Quem o utiliza conta com até 500 MB de armazenamento para seus aplicativos. O Google diz que a banda e o poder de processamento são suficientes para manter um site com 5 milhões de page views por mês. Em seu estágio atual, o App Engine tem mais restrições ao que pode rodar nele do que outras plataformas da nuvem. Aceita apenas programas desenvolvidos em Python, com armazenamento de dados no Datastore, variante do sistema de banco de dados BigTable, usado internamente pelo Google. A empresa diz que, no futuro, pretende oferecer versões pagas do serviço, presumivelmente com mais recursos.

No ano passado, o anúncio mais barulhento nessa área foi feito pela Microsoft. A empresa quer conquistar espaço na nuvem com o Windows Azure, sua plataforma para desenvolver e rodar aplicativos na web. A Microsoft conta com produtos conhecidos, como o servidor de bancos de dados SQL Server, que ganhou uma versão disponível como serviço online, o SQL Services. Também se apóia nas ferramentas de desenvolvimento da série Visual Studio. Um desenvolvedor já familiarizado com esses programas pode usá-los para criar aplicativos para a nuvem. A Microsoft oferece, reunidos sob a marca Live Services, uma série de serviços e blocos construtivos que podem ser usados nos aplicativos. Ainda em fase beta (Community Technology Preview), o serviço só aceita aplicativos construídos com o .NET Framework. Neste ano, deve ganhar suporte a outros tipos de aplicativos.

 

O Linux da nuvem
Dos sistemas operacionais alternativos da nova geração, o eyeOS sobressai como principal candidato a ser o Linux da nuvem. Esse projeto de software livre foi iniciado em 2005 pelo catalão Pau Garcia-Milà, então com 17 anos. Com o tempo, foi conquistando uma ampla comunidade de desenvolvedores, que já se espalha por nove países. Rodando sobre Apache e PHP, o eyeOS não é um sistema operacional de verdade, já que não interage diretamente com o hardware. Mas é uma plataforma para armazenar dados, desenvolver e rodar programas. O sistema vem com 15 aplicativos e 35 utilitários prontos. E qualquer interessado pode baixar um kit de ferramentas e criar os próprios programas.

Segundo Garcia-Milà, o eyeOS já teve meio milhão de downloads, sendo 40 mil no Brasil. “Temos uma comunidade grande o bastante para garantir a continuidade do sistema”, disse ele a INFO. “Isso vai nos permitir sobreviver à concorrência do Google e da Microsoft. Seremos a alternativa livre”, prevê. Garcia-Milà diz que o eyeOS vem sendo usado em escolas em vários países. Em algumas delas, os alunos interagem o tempo todo com o eyeOS, sem tomar conhecimento do sistema operacional que roda no micro. Isso explica a inclusão de um browser, item exótico num sistema ao qual o acesso já feito por meio de um navegador.

Novas baterias se recarregam em segundos

Engenheiros americanos descobriram como produzir baterias de lítio menores, mais leves, com vida útil mais longa e capazes de se recarregarem em segundos.

Os cientistas acreditam que as novas baterias permitirão o desenvolvimento de novos eletrônicos, incluindo sistemas de energia para carros elétricos.

Devido ao fato de eles utilizarem materias convencionais de uma forma inédita, as baterias poderão chegar ao mercado nos próximos dois ou três anos, de acordo com a equipe do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, que publicou a novidade no jornal Nature.

Até agora, as baterias de lítio recarregáveis conseguem armazenar uma grande quantidade de energia, mas elas são “mesquinhas” ao liberarem sua potência, portanto fornecem eletricidade de forma lenta e demoram horas para serem recarregadas.

Os engenheiros costumavam culpar os lentos íons de lítio pela ineficácia das baterias.

Há cinco anos, Gerbrand Ceder e uma equipe do MIT descobriram que os íons de lítio encontrados em baterias que usam fosfato de ferro de lítio na verdade se movem rapidamente.

Ceder e seus colegas então chegaram à conclusão de que os íons de lítio atravessam túneis acessados a partir da superfície do material. Se o íon está perto da abertura que dá para o túnel, rapidamente ele fornece energia. Mas se o íon não está perto da entrada, ele não consegue de movimentar e falha em prover energia

Criando diversos túneis lisos no material, os cientistas ajudaram os íons a se movimentarem mais facilmente.

A partir dessa técnica, foi possível fabricar uma bateria minúscula que demora de dez a 20 segundos para se recarregar completamente. 

 

Tio Bill Gates volta a ser o mais rico do mundo

Em 2008, os endinheirados estiveram mais pobres. Poucos setores da economia conseguiram estancar as feridas.

O setor tecnológico foi um dos arrastados pelos maus ventos da crise. Mas, mesmo com expressiva perda de US$ 18 bilhões durante o ano passado, o fundador da Microsoft, Bill Gates, volta a figurar no topo da lista dos mais ricos da Forbes.

Na edição passada da emblemática competição, Gates aparecia no terceiro posto com um patrimônio avaliado em US$ 58 bilhões. Agora, com “meros” US$ 40 bilhões, ele supera o ex-líder do ranking, Warren Buffet, e também o magnata mexicano Carlos Slim - segundo e terceiro colocados, respectivamente.

Gates está no topo, pois dos grandes bilionários foi o que menos perdeu em 2008. Buffet e Slim viram suas fortunas encolherem US$ 25 bilhões e agora estão com US$ 37 bilhões e US$ 35 bilhões, segundo a Forbes.

É a primeira vez, desde 2003, que o número de bilionários encolheu no ranking. Mas nunca os números foram tão drásticos. A publicação diz que o número de bilionários encolheu de 1125 para 793, e US$1,4 trilhão foi esvaecido.

Apesar deste empobrecimento - de pelo menos um terço do valor líquido - dos magnatas não contar com a comoção das pessoas, o executivo-chefe da imprensa, Steve Forbes, diz que é uma má notícia a todos, pois “se sua riqueza está declinando e você não está criando numerosos novos bilionários, significa que o resto do mundo não está indo muito bem”.

A lista dos 50 mais ricos do mundo e com textos descritivos sobre a vida de cada um está disponível no site da Forbes. Também é possível acessar a relação completa dos bilionários –  basta clicar em cima dos nomes para que os perfis se abram.

O brasileiro mais bem colocado é o empresário dos setores de mineração e petróleo, Eike Batista, que aparece na 61ª posição, com um patrimônio de US$ 7,5 bilhões. Na contramão de seus companheiros, a fortuna de Batista cresceu US$ 900 milhões, o que o fez subir consideráveis 81 colocações (ano passado, ele era o 142º colocado, com US$ 6,6 milhões).

O banqueiro Joseph Safra aparece na 62ª posição, com US$ 7 bilhões. O empresário Jorge Paulo Lemann, da InBev, completa a lista dos brasileiros entre os cem mais ricos do mundo, no 92º lugar, com fortuna de US$ 5,3 bilhões.

 

Relógio de Lincoln guardava mensagem secreta

Um relógio de ouro que pertenceu a Abraham Lincoln carrega uma mensagem sinalizando o início da Guerra Civil americana.

O presidente, entretanto, nunca soube da inscrição secreta revelada nesta quinta-feira (12/03) pelo Museu Nacional de História dos EUA.

A gravação foi feita pelo relojoeiro Jonathan Dillon em 13 de abril de 1861 e diz: “O Forte Sumpter foi atacado pelos rebeldes” e “graças a Deus nós temos um governo.”

O museu afirmou que decidiu abrir o relógio para verificar se realmente existia uma mensagem dentro dele após ser contatado pelo tataraneto do relojoeiro, Doug Stiles, que vive em Waukegan, Illinois.

A Guerra Civil americana começou quando as tropas confederadas do sul atiraram no Forte Sumter, em Charleston, South Carolina, no dia 12 de abril de 1861.

Quase meio século mais tarde, o relojoeiro contou ao jornal New York Times que estava consertando o relógio de Lincoln quando ouviu a notícia de que os primeiros tiros da Guerra Civil haviam sido disparados.

Dillon disse que desparafusou o mostrador do objeto e utilizou um instrumento afiado para registrar a importante data no relógio do presidente.

“Lincoln nunca ficou sabendo da mensagem guardada no seu bolso”, afirmou Brent Glass, diretor do Museu Nacional de História dos EUA em comunicado.

 

Segurança extra pode ter feito Gmail falhar

Cuidados adicionais de segurança podem ter desencadeado um problema técnico que deixou o Gmail indisponível para um grupo de usuários na noite de terça-feira (10).

O Google admitiu a falha no Gmail, a sétima num espaço de seis meses, e afirmou que o problema não durou mais do que 30 minutos. Para um grupo reduzido de usuários, porém, o Gmail está indisponível por várias horas e a indisponibilidade pode durar mais 24 horas para ser plenamente solucionada.

Em nota, o Google pediu desculpas a seus usuários e disse que leva o assunto “muito a sério”, mas evitou comentar o que pode ter causado a falha. No fórum de ajuda do Google Apps, porém, vários usuários vítimas da falha afirmam que usavam ferramentas de segurança, que encriptam dados ao enviá-los para os servidores do Google, afim de proteger as informações.

Estes usuários afirmam que conseguiram fazer suas contas Gmail funcionar após desabilitar aplicações de segurança no painel de controle do PC. A medida sugere que o tráfego de dados encriptados prejudicou o Gmail ou foi bloqueado por alguns minutos pelo Google, causando a onda de reclamações.

 

MS corrige falha no Windows 7 beta

Na terça-feira, 10/3, a Microsoft corrigiu uma falha no Windows 2000, XP, Vista, Server 2003 e Server 2008. Nessa lista faltou o Windows 7.

A correção para a versão beta do Windows 7 foi instalada pelo Windows Update na quarta-feira, 11/3. Quem tem o sistema instalado pode verificar a descrição das atualizações efetuadas. Lá está a atualização de segurança KB958690, descrita nos seguintes termos:

“Foi identificado um problema de segurança que permite a um atacante remoto não autenticado assumir o controle de seu sistema. Você pode proteger seu sistema instalando esta atualização da Microsoft”. Na descrição, a correção é classificada como “importante”.

No boletim de segurança para as versões já ativas do Windows (MS09-006), a falha é considerada crítica e localiza-se no kernel do sistema operacional. Segundo a Microsoft, o Windows 7 não foi incluído no pacote da Terça-Feira de Correções porque se trata de uma versão beta.

 

Chineses hackeiam loja do iTunes

Vale-presentes da loja de música da Apple estão à venda na China. Presentes de 200 dólares podem ser adquiridos por 2,60 dólares.

O alerta foi dado pela empresa de consultoria Outdustry, segundo a qual milhares de vale-presentes estão sendo comercializados na loja digital Taobao.

Ainda conforme a Outdustry, o dono da loja teria dito que os vales foram obtidos mediante o uso de um software para gerar chaves. Ele também teria admitido ter pago a crackers para fazer a programação criminosa.

A Apple pode invalidar os certificados falsos, introduzindo alguma alteração no algoritmo gerador dos códigos. O problema dessa solução é que os vale-compras legítimos ainda não utilizados também se tornarão inválidos.

 

Falhas descobertas há dois meses são cirrigidas pela Adobe

A Adobe liberou atualizações de segurança para falhas críticas nos softwares Adobe Reader 9 e Acrobat 9, descobertas há mais de dois meses.

A empresa alertou seus clientes sobre a vulnerabilidade no final de fevereiro e prometeu uma correção até 11 de março, data que conseguiu cumprir.

As versões 7 e 8 dos mesmos softwares serão corrigidas até 18 de março, disse a fornecedora. Também será liberada uma correção para Adobe Reader 9.1 para Unix até 25 de março.

Explorada com documentos PDF maliciosos, a falha permitia acesso remoto ao computador da vítima. O código provocava um estouro de memória e a conseqüente invasão do sistema.

Quem usa o Foxit, leitor genérico de PDF, também deve ficar atento, pois o programa foi corrigido. Três vulnerabilidades sérias foram eliminadas na nova versão do software, o Foxit Reader 3.0.

 

AT&T troca sua frota por carros ecológicos

A AT&T vai gastar 565 milhões de dólares nos próximos dez anos para substituir sua frota de cerca de 15 mil veículos por carros que funcionam com combustível alternativo.

A gigante de telecomunicações informou que o investimento será o maior já feito por uma empresa americana nesse tipo produto.

A Ford Motor, que fornecerá os novos veículos para a AT&T, será a grande beneficiada.

O CEO da AT&T, Randall Stephenson, disse ao Economic Club de Washington que a modernização da frota resultará em uma significativa redução de gastos com combustível.

A companhia vai adquirir nos próximos cinco anos oito mil vans e caminhões técnicos que funcionam a base de gás natural.

Além disso, serão substituídos 7.100 carros da AT&T por modelos novos e que usam combustíveis alternativos.

 

Google estimula programação em código aberto

O Google vai abrir inscrições para o programa que estimula estudantes a participar de projetos de software de código aberto.

No Google Summer of Code, estudantes selecionados recebem 4,5 mil dólares para programar para projetos de software de código aberto. O grupo ou instituição “mentora” fica com 500 dólares. Para receber a quantia, é preciso passar por avaliações do Google.

Para participar, o estudante precisa ter 18 anos ou mais e estar matriculado em uma faculdade, em qualquer curso de gradução ou pós-graduação. Estudantes da maioria dos países podem participar – veja as regras no FAQ

As inscrições de projetos de software de código aberto interessados em participar do Google Summer of Code já começaram. Os grupos e instituições relacionados aos projetos são chamadas de “mentores”. Os estudantes podem se candidatar a partir do dia 23 de março, pelo endereço http://socghop.appspot.com/.

O Google Summer of Code, criado em 2005, está em sua quinta edição. Nas contas do Google, o programa já contou com a participação de 2.500 estudantes, 2.500 projetos, de 98 países.

Microsoft detalha rival da App Store

A Microsoft detalhou como vai funcionar sua loja de aplicativos: 70% da receita dos aplicativos vai para os criadores, cada desenvolvedor define o preço do seu programa e o processo de aprovação será rigoroso. Lembra algum modelo de negócio que você já viu por aí?

Pra entrar na loja, o desenvolvedor para 99 dólares anuais, que dão direito a publicar cinco aplicativos. E a cada aplicativo lançado, são mais 99 dólares no bolso da Microsoft. Ah, estudante não paga, mas tem que se cadastrar no programa Microsoft DreamSpark.

O Windows Marketplace for Mobile vai estar disponível em 29 países e os desenvolvedores poderão começar a enviar seus aplicativos até o meio deste ano.

Aí só faltam os aparelhos com Windows Mobile 6.5 chegaram ao mercado. HTC e LG prometeram modelos para o segundo semestre... Será que pega?

 

Novo iPod shuffle conversa com você

Desde que a Apple criou o iPod, aposto que ninguém mais se sentiu muito sozinho - as músicas preferidas preenchem o vazio do silêncio. Mas para espantar a solidão de vez, o novo iPod shuffle dá uma de tagarela apenas para se tornar o seu melhor amigo. (Ok, nem tanto assim).

Isso porque ele vem equipado com a tecnologia VoiceOver. Assim, basta tocar um botão e o iPod dirá o nome da música, quem a toca e qual é a playlist. Ele também avisa quando a bateria está dando os seus últimos suspiros. E o melhor, o VoiceOver fala mais de 14 idiomas, entre eles português e grego.

Para completar, o novo iPod shuffle possui 4 GB de memória, espaço suficiente para mil músicas, segundo a Apple. O ponto baixo do modelo pode ser o fato dos controles terem migrado para os fones de ouvido. Imagine que tristeza se você perdê-lo. Mas, isso é apenas uma suposição.

 

Medindo 4,5 por 0,78 centímetro, o dispositivo já está sendo vendido na loja da Apple por 79 dólares. Ainda não há data prevista para a chegada no Brasil.

 

Leia mais sobre o iPod Shuffle