terça-feira, 3 de março de 2009

Google implora para ser hackeado

Pare de tentar invadir os computadores do Palácio do Planalto. O Google abriu um concurso e vai pagar uma boa grana para quem conseguir hackear a tecnologia Native Client. Lançada no fim do ano passado, a ferramenta tem, em linhas gerais, o objetivo de permitir que os navegadores consigam executar programas diretamente nos micros dos usuários.

Isso inauguraria uma nova era nos aplicativos online, fazendo os serviços Web 2.0 atuais parecerem carroças. Muita gente chegou a dizer inclusive que se tratava de um rival para o Java e o Flash. Mas é bem mais que isso – se funcionar direito e se se popularizar, é claro.

Como permite rodar código via browser, o instrumento (que reúne runtime, plug-in para navegador e ferramentas de compilação) pode se tornar uma ameaça e tanto se for usado por gente mal-intencionada. Preocupado com isso, o Google decidiu que o Native Client teria código aberto desde o início e optou por cobri-lo com uma densa blindagem. Para reforçar ainda mais a segurança, resolveu dar um estímulo para quem descobrisse brechas.

Os hackers de plantão que resolverem participar do desafio podem ganhar os seguintes prêmios: US$ 8.192 para o primeiro colocado; US$ 4.096 para o segundo; US$ 2,048 para o terceiro; e US$ 1024 para o quarto e quinto. De acordo com o site oficial criado para abrigar o concurso, o troféu pode ser disputado por equipes ou individualmente.

Vai sair bem barato para o Google. Se descobrirem que o Native Client é um queijo suíço sem solução, basta encerrar o projeto e economizar alguns milhões. Mas se a ferramenta aguentar o tranco (e cair no gosto do povo), então pode ser o começo de uma verdadeira revolução na web.

 

Nenhum comentário: