quarta-feira, 15 de abril de 2009

Brasil é 5º maior em atividade maliciosa

O Brasil saltou da oitava para quinta posição no ranking global de atividade maliciosa da Symantec.

Segundo relatório, a participação do Brasil na atividade maliciosa global foi de 4% no ano de 2008, um salto de um ponto porcentual em relação ao ano passado.

O País ficou atrás dos Estados Unidos, que liderou com 23% de participação, da China (9%), Alemanha (6%) e Reino Unido (5%).

Segundo Paulo Vendramini, diretor de engenharia de sistemas para América Latina da Symantec, o salto pode ser explicado por um aumento na inclusão digital no Brasil.

“Quanto mais gente tem acesso à banda larga, mais gente deixa o computador ligado o dia inteiro e mais gente está sujeita a ataques”, justifica o especialista. A empresa de segurança prevê que a atividade maliciosa tende a crescer ainda mais, acompanhando o aumento no acesso à internet no País.

A Symantec detectou mais de 1,6 milhões de novos códigos maliciosos circulando na rede mundial em 2008, montante que equivale a 60% de todos os malwares já registrados em toda a história da companhia. O número é quase o triplo da média de 624 mil códigos maliciosos identificados em 2007.

As principais tendências identificadas pela empresa foram um aumento da concentração das ameaças em países emergentes e um interesse financeiro cada vez mais evidente por trás das ações de crackers.

Spam

O Brasil também subiu no ranking global de spam, passando a ocupar o quinto lugar entre os principais emissores de mensagens indesejadas – no ano passado, o País estava na 12º posição.

A especialista em segurança identificou um tráfego de mais de 349,6 bilhões de mensagens indesejadas circulando na rede mundial ao longo do ano passado, contra 119,6 bilhões no ano anterior.  

 

Nenhum comentário: