segunda-feira, 11 de maio de 2009

Facebook é pressionado para remover grupos

Parte do poder das redes sociais é a capacidade de formar comunidades com pessoas que pensam da mesma maneira. Mas o que acontece quando tais comunidades são ofensivas para outros?

Este é o centro da questão por trás das tentativas de um advogado de Dallas, no Texas, para que o Facebook remova páginas que negam a existência do Holocausto ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial. O Movimento de Negação do Holocausto procura negar ou minimizar o Holocausto onde os nazistas mataram seis milhões de judeus durante a guerra.

O advogado Brian Cuban vem tentando remover do Facebook grupos com nomes como "Holocaust: A Series of Lies" e "Holocaust is a Holohoax". Barry Schnitt, porta-voz do Facebook, disse que a empresa concorda com Brian Cuban sobre o fato de tais grupos serem ofensivos. Onde os dois lados não concordam, disse Schnitt, é se as pessoas tem ou não o direito de discutir tais ideias no Facebook.

"É uma decisão difícil de ser tomada. Nós temos um grande debate interno e trouxemos especialistas para falarem sobre o assunto", disse Schnitt. "Só porque algo é ofensivo não quer dizer que precise ser removido do Facebook. Nós queremos que o site seja um local onde as pessoas possam discutir todo o tipo de ideias, incluindo as controversas".

 

Nenhum comentário: