quarta-feira, 6 de maio de 2009

Facebook nos cinemas e bibliotecas em 2010

A trama de Mark Zuckerberg e do fenômeno chamado Facebook atrai contadores de história do mundo todo.

Como se não bastasse o anúncio de um livro, da elaboração de um pequeno documentário, agora, é a vez da rede social se mobilizar para rodar um filme de um diretor conceituado na Broadway e em Hollywood. Ou pelo menos era - há cerca de vinte anos.

Aaron Sorkin, escritor e diretor de “Questão de Honra” (A Few Good Men, 1992) aceitou o convite da Sony para escrever um filme sobre como o Facebook foi concebido, em agosto do ano passado. Pouco se sabe fora isso, desde então, visto que o próprio cineasta está pouco acostumado com a rede.

“Eu honestamente não sei como isso funciona, e é por isso que estou aqui”, informou em uma mensagem pública no Facebook, onde decidiu criar um perfil para se enturmar e analisar o funcionamento do site.

A surpresa dele foi que, no site, havia algumas outras pessoas usando o seu nome para interagir com outros. O que, diz o próprio, já deve fazer parte de suas anotações para uma possível cena junto às declarações que vem colhendo de ex-colegas de Harvard de Zuckerberg, entre eles, muitos desafetos.

Entretanto, o filme, produzido pelo premiado Scott Rudin (“Onde os fracos não tem vez”), deverá ser bem menos polêmico que a última obra que investigou a criação da rede social e que está perto de sua data de lançamento. O livro "The accidental billionaires: the founding of Facebook", a tale of sex, money, genious and betrayal, de Ben Mezrich, causa furor antes mesmo de sua chegada.

Em cerca de 300 páginas, o autor retrata traços íntimos de Zuckerberg, como sua suposta obsessão por garotas e sexo, sua ganância e também a duvidosa integridade de sua criação: é acusado de roubar a idéia de colegas de Harvard, que mais tarde montariam o ConnectU. 

A obra escrita estará disponível para venda a partir de julho. Já o longa-metragem, ainda sem nome, tem expectativa de chegar aos cinemas em 2010.

 

Nenhum comentário: