quarta-feira, 8 de julho de 2009

Google estreia rival do Windows em 2010

 O Google está desenvolvendo um sistema operacional para netbooks que pode pôr fim ao duradouro domínio da Microsoft sobre a experiência dos usuários de computadores.

O novo programa, anunciado na noite de terça-feira (06/07) pelo gigante das buscas, será baseado no navegador Chrome, que completou nove meses de idade.

A companhia vai contar com a ajuda da comunidade de desenvolvedores de código aberto para criar o sistema operacional do Chrome, que deve estar disponível a partir do segundo semestre de 2010.

O Google confirmou seus planos logo após o serviço de notícias de tecnologia Ars Technica e o The New York Times publicarem rumores a respeito da novidade.

O sistema operacional representa a mais corajosa estratégia da companhia para competir diretamente com sua mais forte rival: a Microsoft.

Nos últimos anos, a fabricante do Windows assistiu a alguns de seus principais executivos a trocarem por cargos no Google. Além disso, a suíte online de aplicações Google Apps vem sendo uma irritante concorrente para pacote Office.

Por outro lado, a companhia de Redmond investiu bilhões de dólares para aperfeiçoar seu mecanismo de pesquisa online e seu sistema de anúncios na internet. No mês passado, o Bing, novo buscador da Microsoft, conseguiu aumentar a participação da empresa no mercado.

Agora, o Google mira a jugular da maior fabricante de software do planeta enquanto prepara o novo sistema operacional do Chrome.

Grande parte do poder e da receita da Microsoft são oriundos do Windows, que está instalado na maioria dos computadores do mundo há cerca de duas décadas.

Larry Page e Sergey Brin, fundadores do Google, diversas vezes classificaram o Windows como um programa sem graça muito suscetível a vírus e outros problemas de segurança.

"Ouvimos sempre a opinião de nossos usuários e eles são claros: os computadores precisam melhorar urgentemente", escreveu Sundar Pichai, vice-presidente de gerenciamento de produtos do Google, no blog da companhia.

Eric Schmidt, CEO do gigante das buscas, e Brin devem dar mais detalhes sobre o novo sistema operacional ainda nesta semana quando se apresentarem na conferência de mídia organizada pelo Allen & Co em um resort em Idaho.

"Acreditamos que a possibilidade de escolher estimulará a inovação e todos serão beneficiados, incluindo o Google", acrescentou Pichai.

Nenhum comentário: